quarta-feira, 15 de junho de 2011

Sobre expectativas

"Vocês acreditam que estão vivendo num padrão mais elevado do que aqueles que vocês julgam. Aplicar regras, sobretudo em suas expressões mais sutis, como responsabilidade e expectativa, é uma tentativa inútil de criar a certeza a partir da incerteza. As regras não podem trazer liberdade.

(...)

Usemos o exemplo da amizade e veremos que remover o elemento de vida de um substantivo pode alterar um relacionamento. Mack, se você eu somos amigos, há uma prontidão dentro de nosso relacionamento. Quando nos vemos ou quando estamos separados, há uma prontidão de estarmos juntos, de rirmos e falarmos. Essa prontidão não tem definição concreta: é viva, dinâmica, e tudo que emerge do fato de estarmos juntos é dom único que não é compartilhado por mais ninguém. Mas o que acontece se eu mudar “prontidão” para “expectativa”, verbalizada ou não? Subitamente a lei entra no nosso relacionamento. Agora você espera que eu aja de um modo que atenda às suas expectativas. Nossa amizade viva se deteriora rapidamente e se torna uma coisa morta, com regras e exigência. Não tem mais a ver com nós dois, mas como o que amigos devem fazer ou com as responsabilidades de um bom amigo".

Extraído de A Cabana de William P. Young

1 pensamentos:

Pensando bem... disse...

Concordo plenamente. (ótimo livro)

Postar um comentário