segunda-feira, 28 de junho de 2010

Transição






Estou em um período de transição na minha vida, do azedo para o amargo.

domingo, 27 de junho de 2010

Elogio

- Nossa você ficou tão linda com esse óculos e esse cabelo preso. Uma linda "executiva".
- Obrigada.

(...)

- Esse seu perfume é maravilhoso. Assim como você, claro.
- (sorriso) Obrigada.

(...)

- Seu irmãozinho vai ficar bonitão. Se puxar a irmã então, vai dar um trabalhão.
- Vai ficar mesmo. Obrigada.

(...)

Não que ele a elogiasse esperando retorno, mas as vezes, além do obrigado, ele queria muito ouvir um "você também".

Pensei nisso, por causa desse blog aqui ó: http://futurosamores.blogspot.com/2010/06/janela.html

Até.

Troca justa

Eu trocaria cem anos de vida por um dia ao seu lado, mesmo que não pudesse te tocar, beijar ou te abraçar. Só sua presença bastaria.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Coração

















Completamente a arder de amor.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Vídeo-gamer

Quando eu era criança, eu pensava que seria um adulto gamer, daqueles que nunca abandonariam o vídeo-game, teria sempre os de última geração (caso tivesse grana pra comprar, claro) e mesmo casadão ia estar lá gastando seu tempo com os games e que a esposa ainda iria achar bom hahaha.

Eu ainda jogo claro, sempre que possível, reúno dois ou três amigos e partimos para uma lan house para jogar um Pro Evolution Soccer ou Winning Eleven (ambos o mesmo jogo de futebol, só que o primeiro é de fabricação européia e o segundo japonesa). Nós nos divertimos muito obviamente, muitas risadas, uma Coca-Cola gelada durante os jogos, competição, gozações, brigas e por aí vai. Mas fica naquilo. É uma diversão esporádica de alguns adultos que querem descansar um pouco dos afazeres de gente grande.

Como crianças se enaganam ao processar seu futuro né? Hoje eu poderia ter um Playstation 3 por exemplo, mas o máximo que eu faço é jogar um Mario Kart de emulador no PC, ou um outro joguinho no PSP, que aliás está emprestado pro meu irmão já tem tempos e tempos. Não consigo pensar em investir meu tempo em jogos de 70 horas e por aí vai, ou passar raiva tentando passar aquelas fazes impossíveis.

Pena que não só as crianças que se enganam, as vezes fazemos planos depois de certa idade já não tão inocente que acabam por não lograr êxito, seja por nossa própria insuficiência ou seja com a contribuição dos outros.

Talvez eu esteja com essa minha história de criança que queria ser gamer quando crescesse na cabela, porque hoje eu precisava muito ser gamer, precisava muito entrar em outro universo, um mundo de esportes, corridas, lutas, guerras, romance, vida, morte, construção, destruição, mocinho, bandido e por aí vai.

Um mundo que não o meu.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

A arte de não publicar

Estou percebendo que não consigo terminar posts começados. Começo a escrever pro blog e acabo não publicando. Tem um monte de texto ali no arquivo que eu comecei e parei por algum motivo:

- não deu tempo: as vezes estava trampando, comecei o post, mas tive que sair de perto do PC; ou estava em casa e aí surgiu algo pra fazer e tive que sair, enfim, falta de tempo é falta de tempo ué;

- não houve a inspiração lírica gastronômica poética ergonômica pedagógica oxidante necessária para terminar o texto: isso acontece diversas vezes, aliás, quase todo dia, especialmente quando eu nem começo a escrever. Sempre tive uma predileção por crônicas, sempre me dei melhor escrevendo sobre o dia a dia do que sobre dores de cotovelo e essa coiserada que vocês estão acostumados a ver aqui no blog, então, quando acontece a situação o texto jorra na minha mente, mas na hora de passar pro papel , puft, não vem aquela inspiração, deveria andar era com um gravador no bolso;

- preguiça: Nossa, tô num sono hoje;

- o texto está ficando ruim demais: Eu começo a colocar uma boa idéia em prática, mas a execução sai uma porcaria, esse texto por exemplo, acho que está ficando totalmente sem sentindo, e não tem nada que presta nele, aí que eu faço, eu clico em "salvar agora" pra ver se consigo, com mais inspiração, "salvar" o texto depois, mas nem consigo. Acabo de apagar uma meia dúzia sem futuro ali no arquivo;

Devem haver mais motivos além desses para um texto que seria publicado no blog não ser publicado naquele momento, depois esquecido, com uma posterior tentativa de rescrevê-lo e a consequente exclusão, mas no momento está na hora de eu ir pro almoço, além do que estou numa preguiça danada e quando estou com preguiça não fico nada inspirado pra escrever e se eu escrevo sem inspiração fica ruim demais.

sábado, 19 de junho de 2010

Pra variar um pouco

Li essa piada agora e quis reproduzir aqui pra quebrar um pouco o clima tenso de amor e saudade e corações partidos:

Um homem está na fila da caixa no supermercado. De repente, observa que uma loiraça lhe acena e lança um sorriso daqueles de cair o queixo.
Ele deixa por momentos o carrinho das compras na fila, dirige-se à louraça e lhe diz suavemente:
- Desculpe, será que nos conhecemos?
Ela responde, sempre com aquele sorriso:
- Pode ser que eu esteja enganada, mas penso que o senhor é o pai de uma das minhas crianças…
O tipo põe-se imediatamente a vasculhar a memória e pensa na única vez em que foi infiel à esposa, perguntando de imediato à louraça:
- Não me diga que você é aquela stripper do puteiro da Zuleika, que depois de um show de sexo total eu acabei comendo sobre uma mesa de bilhar, diante de todos os presentes, totalmente bêbado, enquanto uma das suas amigas me bulinava o tempo todo com uns nabos molhados e depois me enfiou um pepino na bunda?
- Bem… acho que o senhor está equivocado… Sou a nova professora do seu filho.


Eu ri.

Saudade

Hoje estou sentindo uma enorme saudade dEla.

Nós mantemos um contato sadio desde que terminamos, sempre esbarramos no MSN, orkut ou até por telefone mesmo.

Mas essa saudade de hoje é diferente. É uma saudade maior, mais intensa, rústica, que vem d'alma.

Acho que é o amor fazendo a ficha cair...

Mas tenhamos calma e pés no chão. Não façamos besteiras certo?

Tomara.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

A "in"lógica vida

As vezes temos que perder para ganhar
Sorrir quando se quer desesperadamente chorar
Separar para poder juntar

Nada é fácil
A felicidade é efêmera
A vida as vezes é curta
E os sonhos não saem do pensamento

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Música do Dia

 

 O Vento

Jota Quest

Composição: Márcio Buzelin
 

Voe por todo mar e volte aqui
Voe por todo mar e volte aqui
Pro meu peito...
Se você for, vou te esperar
Com o pensamento que só fica em você
Aquele dia, um algo mais
Algo que eu não poderia prever
Você passou perto de mim
Sem que eu pudesse entender
Levou os meus sentidos todos pra você
Mudou a minha vida e mais
Pedi ao vento pra trazer você aqui
Morando nos meus sonhos e na minha memória
Pedi ao vento pra trazer você pra mim
Vento traz você de novo
O Vento faz do meu mundo um novo
E voe por todo o mar e volte aqui
E voe por todo o mar e volte aqui
Pro meu peito...

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Ar de Copa

Ano de Copa do Mundo é um ano em que tudo, ou quase tudo, é diferente. Lá vem um novo uniforme da seleção pra ser comprado e debatido, as ruas são pintadas de verde e amarelo, as pessoas além de se pintarem só conversam sobre convocação, táticas, etc. Até o ar é diferente em ano de copa.


O ar pré-copa fica carregado de tensão, expectativa, dúvida, confiança, são todos aqueles sentimentos que inundam nosso ser até o apito que marca o início do primeiro jogo. Alguns anos as pessoas ficam mais confiantes, a seleção vai bem nas eliminatórias e amistosos, mas para compensar tem uns anos que ninguém bota fé na canarinho, exceto os comerciais de televisão.Aliás, até os comerciais tem ar diferente, não só ar, mas a aparência também. Principalmente os comerciais de cerveja:

“ Você que já cansou de empurrar outras cervejas pela sua garganta, beba Drunked e empurre a seleção!”

“ A cerveja Purálcool torce com você pela nossa seleção! “

“ Boa de Copa é a nossa seleção e boa de copo é a sua cerveja Skhaiol. “

Então chega a copa, e depois de uns dois jogos os comerciais continuam os mesmos só a expectativa do futuro da seleção que muda:

- Sei não, acho que tá mais fácil o Enéias ganhar as eleições que o Brasil papar esta copa.

- A copa é nossa, meu filho, não tem zaga que agüenta nosso ataque.

- Eu já discordo dos dois. É muito cedo para falar. Não tenho opinião formada.


E é nesse desenrolar que tudo pode mudar, o Brasil pode perder antes do esperado ou perder na final onde ninguém espera derrota e ficar aquele ar de velório em todo o país, inclusive nas festas mais animadas vão existir aqueles que relembram o fiasco da copa, fazendo com que os demais passem a curtir fossa com ele.


Só que se o Brasil ganha... no outro dia é feriado nacional. Alguns torcedores mais contentes comprarão toda parafernália que sair em revistas e jornais. Nos próximos meses serão vários especiais televisivos, entrevistas com os campeões, reprises, compactos e tudo que se tem direito.


Enfim, quando chegar mais para o fim do ano e junto com o ele o campeonato brasileiro e outras coisas para se preocupar o ar de copa se findará fazendo com que quase tudo volte ao normal até a próxima Copa do Mundo.



_________________


Esse texto foi escrito por mim originalmente em meados de maio de 2002, eu ainda era um teenager de ensino médio metido a escritor, aliás eu escrivia bem melhor que eu escrevo hoje.


Futuramente, mostro mais um pouco das minhas "obras" de outrora.


Pena que demorei pra lembrar desse texto, poderia ter publicado antes da copa. Interessante a referência ao finado político Dr. Enéias, eterno (até antes dele morrer) candidato a presidência da república.


Espero que gostem do texto.

domingo, 13 de junho de 2010

Uma ano atrás

Ele a buscou em casa com um pouco de atraso, mas não foi culpa de ninguém, foi graças a correria do dia a dia e eles saíram de casa para comemorar o dia dos namorados.

O restaurante escolhido estava cheio, era um lugar pequeno que servia comida japonesa, mas que já estava lotado. Eles não desanimaram. Por uns instantes ele tirou o sorriso do rosto, ele queria comemorar o dia dos namorados naquele lugar, mas logo logo passou. Qualquer mal passava raiva quando se estava junto dela.

Cruzaram a cidade atrás de outro restaurante oriental, que já reservas para todas as mesas. Dessa vez ele ficou mais nervoso, se ele soubesse quão mal isso fazia para ele, pra ela e para eles, ele não faria isso. A cara amarrada durou mais um tempo maior, mas passou. Como eu disse, tudo passava.

Acabou que eles foram para um dos poucos lugares da cidade que não tinha pensado passar o dia dos namorados. Chegando lá, era uma pizzaria, sentaram-se num lugar onde fazia um pouco de frio, ele se preocupou de deixá-la o mais protegida do vento possível. O lugar não era feio, era noite, dava vista para uma bela lagoa. Podeia dizer que a situação era inclusive romântica. Não havia qualquer tipo de barreira entre os dois, eram cúmplices de um dia dos namorados que mesmo não dando muito certo até então, era um dia especial.

O pedido foi simples, nada de pizza, tinham comido pizza na noite anterior, pediram uma de medalhão (franbacon) e uma porção de queijo e azeitona de entrada para abrir o apetite. Eles estava com fome, ela nem tanto, e também uma coca-cola.

O tempo foi passado, e mesmo na companhia excelente um do outro a demora foi sendo notada. "Ué, qual a dificuldade de cortar o queijo e tirar a azeitona do pote?" perguntou ele. Ela era muito mais decidida quanto a esse tipo de coisa, creio que tinha exemplos familiares, ele não. Assim que chegou a garçonete ela refez a mesma pergunta que ele tinha feito só pra ela antes, a moça meio que se assustou e foi procurar saber, quando voltou de mãos abanando ele perguntou sobre o medalhão, neste momento, com certeza já tinha passado pelo menos uma hora e meia que tinham feito o pedido e não haviam sido atendidos.

A garçonete, volta dessa vez com o queijo e a azeitona, e diz, depois de mais ou menos duas horas de atraso, que não tinha peito de frango pra fazer o medalhão... que situação. Não era o dia deles, justo naquele dia! Dispensaram o medalhão, comeram o queijo e a azeitona frustrados, antes do prato acabar olharam um pro outro, ele sorriu e ela devolveu o sorriso, um beijo e um abraço.

No caminho ela foi escorada no ombro dele. Sem importar com nada e felizes, acima de tudo, felizes.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Sensação estranha

Amanhã é amanhã!

Grande descoberta hein Vítor??? Claro que amanhã é amanhã!

Mas que dinha é amanhã???

Pois é! 12 de Junho. Dias dos namorados.

Estou me sentindo um alien, um estranho neste mundo. Por que? Não era assim que eu queria contar mas, é verdade, eu e Ela não estamos mais juntos, e amanhã faz uma semana.

Essse clima de romance, as lojas todas decoradas com corações, frases de amor e tudo mais está me corroendo por dentro.

Por dentro sim, porque por fora eu estou fazendo uso de uma pokerface lascada. Como diriam Juliano e Jardel na música Sorriso Mudo (que é mais conhecida nas vozes de Chitãozinha e Xororó) "Quem me vê assim sorridente, não sabe o que estou passando, o meu sorriso é mudo, eu devia era estar chorando".

Afinal, depois de alguns bons anos, volto a passar o dia dos namorados sem namorada. E pior, muito pior, totalmente pior, não é sem qualquer namorada, é sem A NAMORADA, sem Ela.

Todos vocês sabem do que sinto por Ela, e tudo mais, o que vocês não sabem é do que aconteceu antes, e o que aconteceu agora por último, mas tempestivamente serão informados, possivelmente em breve.

Enfim, fato é que estou com uma sensação realmente estranha, uma dor aguda no peito, realmente me sentindo deslocado dos demais.

A mudança é a lei da vida.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Sem assunto mas com coisa pra falar

Gente! A falta de assunto (e tempo!) está comprometendo as atividades bloguísticas!!

Eu tenho algumas coisas pra falar pra vocês mas não sei direito como e por onde começar.

Estou em processo de "emburrecimento".

Me sinto sem assunto pra falar a verdade.

Tenso. Muito tenso.

Mas enquanto o assunto não vem deixa eu perguntar pra vocês: Sabem como faz um giz virar cobra????? Joga ele na água que o Gizbóia! :P

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Back in Black

video


"Back in black, I hit the sack
I've been too long, I'm glad to be back
Yes I'm let loose from the noose
That's kept me hangin' about

(...)

'Cause I'm back! Yes, I'm back!
Well, I'm back! Yes, I'm back!
Well, I'm back, back
Well, I'm back in black
Yes, I'm back in black!"



Cá estou eu de volto meus amigos e amigas, leitores que eu abandonei temporariamente, e senti muito por isso.

Muitas coisas aconteceram, tenho que fazer inúmeras revelações e contar-lhes alguns segredos.

Aos poucos.

O que importa é que, estou de volta. Vou retirar umas teias de aranha, fazer uma faxina e e se tudo correr bem, voltarei, ainda hoje.