terça-feira, 5 de julho de 2011

Da felicidade, do receio e da prontidão.


Estou feliz, sim, feliz. Desde sexta-feira, dia 01 de Julho de 2011, eu estou feliz e não é qualquer felicidade, é daquelas que inundam a gente, perceptíveis no rosto da gente, uma amiga me disse que parece cara menino. O motivo? Já lhes conto.

O clima com Ela está excelente, há muito tempo Ela não me tratava tão carinhosamente como me tratou nesse final de semana, até senti o gostinho da felicidade plena que eu sentia do lado daquela linda mulher.

Sem dúvida os anos mais felizes da minha vida de símio foram do final de 2006 ao final de 2009, e nesse final de semana (é claro que houveram momentos inesquecivelmente, incrivelmente felizes também com Ela nesse período que estamos separados, e também houveram momentos incríveis sozinho ou com os amigos, mas tudo com Ela tem mais cor, sabor, emoção, é exponencial [que parêntese grande {ainda pode usar colchete e chave?}]) eu pude experimentar um pouquinho da felicidade plena de outrora, e um pouquinho do lado dEla já é muito, imagina muito então?

Juntamente com a felicidade, é claro que surge o receio, não é receio de talvez não engrenar, de não ser pra sempre, até mesmo porque existe uma linha tênue demais entre o pra sempre e o nunca mais. E eu também quero aproveitar cada milésimo de cada minuto que vou passar com Ela, sem culpa, sem medo, só esse receio de não saber direito ainda onde estou pisando, o que Ela está pensando sobre nós ou para nós. Sabe? Muito embora eu esteja sendo tratado com um carinho que foi recebido em pílulas do meio de 2010 pra cá, logo estou meio deslumbrado e desacostumado, eu não direito ainda se a intenção dEla é de ficar junto, de aproveitar ou seja lá o que for. Daí surge essa apreensão em face do que aconteceu no ano passado de Março a Junho, como eu sofri. Porém, eu confio nEla e se está havendo essa reaproximação gostosa e carinhosa, provavelmente Ela sabe o que está fazendo.

Só sei que eu estou pronto. Pronto para recebê-la e amá-la novamente como nunca antes eu amei, de fazer valer a música do Train: "Brick by brick we can build it from the floor If we hold on to each other we'll be better than before", pronto pra ouvir novamente um "eu te amo" da boca dEla que há tanto tempo eu não ouço, e não tem pressa, sou paciente, e também estou pronto se der errado, se simplesmente hoje ela sumir, não mandar mais sms, não ligar, não chamar no MSN, não quiser sair no final de semana, se Ela perceber que ainda não é hora de ficarmos juntos, que ainda temos alguma sola de sapato pra gastar a sós, ok, é claro que eu ficarei triste, entretanto eu sei que se não agora, depois, eu espero, e espero pronto, com o martelo e o prego não mão que se Ela se descuidar eu acerto de vez e não deixo Ela escapar de novo, se eu errar ou a esquiva dEla for boa eu me preparo melhor, é a vida que eu escolhi, esperar ansiosamente pela volta de quem nunca deveria ter partido. Essa é a diferença entre prontidão e expectativa, quem sabe a diferença entre sofrer demais e sofrer só um pouquinho.

1 pensamentos:

Vanessa Souza Moraes disse...

Continue feliz.

Postar um comentário