sexta-feira, 12 de março de 2010

Palavra do apóstolo

Paulo é considerado por muitos o maior doutrinador cristão que já pisou na face da Terra. Sem dúvida alguma, na Bíblia, em termos de doutrina, ninguém escreveu tanto quanto este homem de Tarso. Inclusive, arrisco dizer, que nem o próprio Jesus, falou tanto sobre sua prórpria graça quanto Paulo. Para situar, quem não leu, ou não sabe muito sobre Paulo, resumidamente posso dizer que antes o nome dele era Saulo e ele perseguia os cristão logo após a morte de Jesus, possuía dupla nacionalidade, hebréia e romana, era conhecido entre os fariseus (judeus que se achavam fodões e super conhecedores de religião na época) e também não era perseguido pelos romanos, graças a sua nacionalidade. Belo dia, ele conheceu Jesus assim:

"Saulo, respirando ainda ameaças e morte contra os discípulos do Senhor, dirigiu-se ao sumo-sacerdote, e lhe pediu cartas para as sinagogas de Damasco, a fim de que, caso achasse alguns que eram do Caminho, assim homens como mulheres, os levasse presos para Jerusalém. Seguindo ele estrada fora, ao aproximar-se de Damasco, subtamente uma luz do céu brilhou ao seu redor, e, caindo por terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues. Ele perguntou: Senhor, quem és Tu? E a resposta foi: Eu sou Jesus, a quem tu persegues; mas, levanta-te, entra na cidade, onde te dirão o que te convém a fazer". (Atos 9:1-6)

Saulo ficou cego três dias, sem comer nem beber, e procurou o profeta Ananias através de quem se convertou ao cristianismo, quem quiser ler o resto da história é só ler o capítulo 9 de Atos dos Apóstolos.

Falei um pouco de Paulo, pra vocês entenderem de leve como foi que esse homem conheceu a Cristo e se tornou um dos maiores evangelistas de sua época, mesmo tendo outrora odiado a Cristo e seus seguidores.

Paulo escreveu diversas cartas, para as congregações cristãs na ásia e europa, uma delas foi pra igreja na grega Filipos, em meados de 53 a 58 d.c, sendo que a cidade era importante na época, e teve por objetivo mostrar aos cristãos de Filipos a necessidade de centralizarem suas vidas em Cristo Jesus.

Logo no primeiro capítulo, no versículo 21, o apóstolo da Graça escreve um dos versos mais conhecidos pelo mundo cristão: Porque pra mim, viver é Cristo e morrer é lucro.

Não vou nem adentrar a primeira parte do versículo. Não sou capacitado para tecer algum comentário sobre "viver é Cristo" até mesmo porque, seria hipocrisia falar de algo que, infelizmente, não tem sido uma tônica na minha vida.

O objetivo desse post é falar da segunda parte do verso "morrer é lucro". Mas antes deixe eu preparar meu escudo e armadura, porque já sei das pedras que virão pra cima de mim. Covarde.Idiota. Medroso. São os menores insultos que eu espero receber dos, poucos, porém fiéis e caríssimos leitores deste blog.

Agora, ao comentário: Quem nunca pensou em morrer? Não minta! Pense bem, viver é legal e tal, a gente faz muita coisa, mas me conta uma coisa aqui, e morrer?
Se até o apóstolo Paulo, quase dois mil ano atrás, com autoridade, já asseverou acerca da vantagem eu não viver, quem dirá eu??

Convenhamos que a humanidade perdeu o bom senso, os tempos são maus, as pessoas piores ainda, ninguém respeita ninguém e o amor... pfff, está caminhando para se tornar uma geleira. Se eu for falar das atrocidades que nós e nossos pares cometemos dia após dia, eu escreveria um post de 3 milhões de caracteres, só pra mostrar que não há vantagem em habitar a Terra.

Estamos a mercê de políticos corruptos, líderes religiosos que por fora são de luz e por dentro são só trevas, bandidos inescrupulosos, impresa comprada, laboratórios gananciosos e por aí vai. Sinceramente não vejo vantagem nenhuma em viver. Morrer é lucro.

Vocês vão dizer que eu sou um louco covarde (se já não disseram), que não tem culhões para enfrentar meus próprios problemas, e estou com uma dor de cotovelo que tira a razão. Tudo bem pode até ser. Mas não fui eu que disse a dois mil anos atrás que morrer é lucro.

Eu fico imaginando a paz que é estar do outro lado. (Esclareço aqui, que na minha fé, as pessoas que são de Cristo, ao morrerem vão para o paraíso, enquanto esperam a volta de Jesus, e o "fim do mundo"). Enão, diante dessa ótica o que é melhor? Viver num mundo fadado ao fracasso, sem ser amado e correspondido, triste e infeliz ou ir descansar no paraíso???

Ah! Se eu pudesse escolher!!! Mas como não posso vou vivendo a vida assim, meio na banguela, sem esperar muito. Buscando, é claro, com minhas ações correr atrás da felicidade. Mas uma coisa tenho que confessar a vocês, mesmo quando eu dizia que eu era feliz de verdade, era amado e tudo mais, esse versículo nunca saiu da minha cabeça, porque eu sei que



Morrer é lucro.

3 pensamentos:

Hebreu disse...

Muito bom e sincero.

*May Lopes disse...

Lindo post!
Olha,eu sou evangélica e nunca ví alguém falar nesse assunto como vc!

(Obs:Livro sim! Acredito em seus textos!)

http://maylopez.blogspot.com/

Will disse...

tirando a carga melancólica ficou 100 o post!
mas entendo o desabafo, e realmente, quem nunca pensou que seria melhor estar morto do que continuar vivo em tempos tão insanos quanto o que vivemos?
Por motivos sérios ou pelos mais pífios, como pecadores que somos, esse pensamento acaba por nos rondar...

Postar um comentário