sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Uma carta

Dando uma rodada pelos meus arquivos antigos do computador aqui da agência, achei uma carta digital que recebi de uma moçinha mais de 6 (seis) anos atrás.

Não me lembro bem como foi que nos conhecemos, só sei que ela lembro que ela era bonita, cabelos negros, pele branquinha e olhos verdes. Achei a carta bonitinha e me fez certo bem, me fez lembra de uma época em que eu tinha certa relevância para as pessoas.


Sábado, 1 de maio de 2004

Oi meu lindo, que saudades de vc!Olha precisava te dizer algumas coisas, que pessoalmente não te disse. Veja eu adorei ter estado com vc aqueles dias: amei de paixão. Porém eu não fui muito legal, diria que meio sem educação, saiba que eu não sou assim, sou uma pessoa super legal, carinhosa e educada; Por força maior eu tive que ser assim, e te explico. Eu te achei maravilhoso pela foto que vc me mandou, sua voz então linda, mas quando te vi pessoalmente, diria que levei um choque, nem acreditava que vc estava frente a frente comigo, sua delicadeza era demais. Portanto senti na hora que meu coração balançou por vc, e que se eu não fizesse nada iria me apaixonar de vez.Então tratei logo de dar um jeito, e ser indiferente contigo, e não ser uma pessoa legal. E foi o que fiz, tanto que até fechou a cara pra mim, vc percebeu; conversamos bastante, a cada palavra sua eu me admirava mais com vc. Eu até menti que estava namorando, para ver se vc ficava indiferente, grosso, sei lá, algum jeito para eu me decepcionar, mas foi inútil, continuava do mesmo jeito comigo. Eu vi que não ia adiantar nada eu ficar daquele jeito, mas continuei, vc foi me levar em casa, achei legal é claro. Por fim eu vi que o jeito era te beijar, não que eu não quisesse, mas se não eu ia talvez sentir algo além da amizade. Aconteceu, quase morri, que beijo, nunca eu havia beijado alguém como vc, seu beijo é apaixonante, tdb. Daí eu vi que tudo que eu havia feito, o jeito que eu fui com vc tinha sido inútil depois daquele beijo. Mas fazer o quê, pensei em vc um tempão até que consegui dormir. No outro dia passei aí na agência, eu estava pior do que o dia anterior, menti para vc de novo, disse que era por causa do meu pai,mas não, era lutando contra o que eu estava sentindo e não podia ser. Poxa Vítor, foi por isso, que eu não fui legal. No domingo quando nos despedimos, me senti mal, por pensar que não te veria durante um bom tempo, e também por ter sido uma pessoa esquisita com vc. Quando foi segunda-feira, senti uma enorme vontade de ir até vc, mas vc estava trabalhando e então não pagava bem. Fiquei o dia todo pensando, afinal eu saí daí já era quase 7:00 da noite.

No caminho pensamentos fluíam no final de semana maravilhoso que passei, só de estar ao seu lado e eu burra tive que ficar daquele jeito, mas tudo só para eu não me apaixonar por vc, que é uma pessoa esplendida, maravilhosa, legal, ou seja, demais. Se eu pudesse queria estar com vc toda hora, todo dia, o mês, o ano, a vida inteira, mas é impossível nós dois. Moramos em cidades diferentes e como eu disse já tive essa experiência e não foi legal, por isso eu acredito que seria melhor vc não me ligar, nem eu. Para que não se solidifique essa paixão. Vítor, meu amor, sei que vc não irá achar legal minha atitude,mas é o melhor. Perdoe-me. Mas mesmo assim sinto um carinho enorme por vc, te admiro muito.

Era isso que eu tinha pra falar.

Beijos, beijos, beijos

Com carinho, EU!!!!!!



Depois disso, se não me falha a memória, nos comunicamos pouquíssimas vezes e depois nunca mais a vi, ela conseguiu o que queria.

Ela escolheu o mesmo caminho que a moçinha da carta, e ao que parece também terá sucesso em sua escolha.

1 pensamentos:

Minerva Alanis disse...

HAHA' Essa moça me faz lembrar de um outro alguém, e esse alguém tem medo de chorar por novos amores, e se priva de ser feliz. ESSE ALGUÉM sou EU (MAYARA.). Isso me deu outra idéia.

Postar um comentário