segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

A queda do Império

Nesta madrugada de sábado pra domingo começou o Gran Prix Mundial de Pesos Pesados do Strikeforce. Pra quem não sabe, o Strikeforce é uma franquia de MMA (Mixed Martial Arts). Junto com o UFC, são as duas franquias mais poderosas, que restaram depois do fim do Pride.

O GP dos Pesos Pesados reuniu (porque agora só restam seis) oito dos melhores lutadores do mundo, dentre eles, um conhecido como o Último Imperador: Fedor Emilianenko. Esse cara, é um mito, uma lenda, um verdadeiro titã. Ele é uma espécie de Pelé, Al Pacino, Dostoiévski, Freddie Mercury, Michael Jordan, Hitchcock e poderia citar vários ícones, que se não são os melhores do que fizeram, são com certeza top 5 de todos os tempos, no mundo do MMA. Infelizmente, não tem muito tempo que sigo mesmo o MMA, mas com certeza, posso afirmar que Fedor é um lutador incomparável. Além do que é humilde e sóbrio.

Para terem uma noção, acessem a página do sujeito na Wikipédia (em inglês) e deêm uma olhada no cartel do rapaz: http://en.wikipedia.org/wiki/Fedor_Emelianenko. Incríveis 31 vítórias (a maioria no primeiro round) e apenas 3 derrotas. nove anos sem perder. Sendo que a primeira derrota, 10 anos atrás, praticamente ninguém considera derrota, pois foi intervenção médica. Pois é, mas e as outras duas derrotas??

Ano passado, Fedor enfrentou o brasileiro Fabrício Werdum, um lutador mediano com boa habilidade em Jiu Jitsu, porém um lutador "classe B". Logo no primeiro round, Fedor foi pra cima como sempre, tentando decidir, porém em um momento que muitos consideraram sorte do brasileiro (eu já acho que foi uma mistura de habilidade com distração de Fedor, eis aqui o link da luta http://www.youtube.com/watch?v=VacJtJ3k-3A são só 2:34) , Werdum conseguiu um triângulo e finalizou a luta. Era a primeira derrota de Fedor Emilianenko após nove anos, o que deu uma balançada no mundo do MMA.

Humilde ele disse o seguinte acerca da derrota: "Aquele que não cai nunca se levanta. Acontece que as pessoas me fizeram um ídolo. Mas todo mundo perde, eu sou só um ser huamno. Se é é da vontade de Deus na próxima luta vencerei".

Foi marcado então o evento do Grand Prix, nas quartas de final o Último Imperador enfretaria Antônio "Pezão" Silva, excelente lutador, humildade em pessoa, mas com certeza, muito inferior a Fedor, tanto que nas casas de apostas Fedor contava com mais de 70% das apostas. Mas não contaram isso pro Pezão, antes da luta ele disse uma frase emblemática: "Pra me tornar uma lenda, eu tenho que derrotar A LENDA". E assim se fez. Após um 1º round equilibrado vencido por Fedor, Pezão dominou o 2º round, massacrando o russo numa luta de solo, o médico interveio, pois Fedor não conseguia enxergar com o olho direito, proporcionando assim a segunda derrota (seguida) do maior de todos os tempos. A queda do Last Emperor.

Sinceramente, muito embora eu goste do Pezão, fiquei triste e ainda estou triste com a derrota da Fedor. Sem querer ser dramático, mas essa derrota é um sinal dos tempos.

Porém, isso nos mostra uma lição pra a vida: tudo é passageiro. Tudo.

Um dia você está num bom emprego, mas no outro dia desempregado.

Um dia você está num relacionamento sólido e cheio de amor, no outro dia o relacionamento acaba.

Um dia você está profundamente triste e no outro dia a sua vida muda completamente e você volta a sorrir.

Devemos estar preparados. Mudanças são inevitáveis.

2 pensamentos:

Michelle Crístal disse...

Mudanças são inevitáveis, como diz Lispector : Só o que está morto não muda! Se a vida existe ainda a esperança... Gostei de uma frase dele:Aquele que não cai nunca se levanta.

Camila disse...

Mudanças...ai ai...

Postar um comentário